Oxigenoterapia: o que é, para que serve e principais tipos

30/07/2020 04:06:42

O oxigênio é um dos tratamentos mais importantes disponíveis para pacientes com doenças cardiopulmonar. Como os prestadores de cuidados primários se tornaram cada vez mais hábeis em reconhecer pacientes com doença pulmonar, o uso de oxigenoterapia a longo prazo para adultos tem aumentado

oxigenoterapia é um tratamento que fornece oxigênio extra para inspirar. Também é chamado de oxigênio suplementar. Só está disponível mediante receita do seu médico. Você pode obtê-lo no hospital, em outro ambiente médico ou em casa. Algumas pessoas precisam disso apenas por um curto período de tempo. Outros precisarão de oxigenoterapia a longo prazo.

Existem diferentes tipos de dispositivos que podem fornecer oxigênio. Alguns usam tanques de oxigênio líquido ou gasoso. Outros usam um concentrador de oxigênio, que retira o oxigênio do ar. Você receberá o oxigênio através de um tubo nasal (cânula) ou máscara. Existem versões portáteis dos tanques e concentradores de oxigênio. Eles podem facilitar a sua movimentação enquanto estiver usando sua terapia.

A oxigenoterapia pode ser extremamente benéfica para quem freqüentemente experimenta baixos níveis de oxigênio, independentemente do motivo. Se necessário, a utilização regular de oxigenoterapia pode permitir que as pessoas sejam mais ativas e móveis, diminuindo a falta de ar. Também pode melhorar significativamente a qualidade de vida e, em muitos casos, aumentar a expectativa de vida.

A oxigenoterapia também pode reduzir sintomas como:

  • Dores de cabeça;
  • Irritabilidade;
  • Fadiga;
  • Tornozelos inchados.

A oxigenoterapia pode ajudar no crescimento e desenvolvimento de crianças com problemas pulmonares crônicos. Também pode diminuir sintomas como dores de cabeça causadas por baixos níveis de oxigênio e alterações ou problemas comportamentais.

Para que serve a oxigenoterapia?

oxigenoterapia para que serve

A oxigenoterapia é prescrita para pessoas que não conseguem obter oxigênio suficiente por conta própriaIsso geralmente ocorre devido às condições pulmonares que impedem que os pulmões absorvam oxigênio, incluindo:

  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC);
  • Pneumonia;
  • Asma;
  • Displasia broncopulmonar (pulmões subdesenvolvidos em recém-nascidos);
  • Insuficiência cardíaca;
  • Fibrose cística;
  • Apneia do sono e outros distúrbios do sono;
  • Doença pulmonar;
  • Trauma no sistema respiratório.

Para determinar se uma pessoa se beneficiará da oxigenoterapia, os médicos testam a quantidade de oxigênio no sangue arterial. Outra maneira de verificar é usar um oxímetro de pulso que mede indiretamente os níveis de oxigênio, ou saturação, sem a necessidade de uma amostra de sangue. Nos casos em que a falta de oxigênio acontece durante o sono, o médico poderá diagnosticar a necessidade de oxigenação suplementar através da sonoterapia.

Algumas pessoas precisam de oxigenoterapia o tempo todo, enquanto outras precisam apenas ocasionalmente ou em determinadas situações.

Quais são os tipos de oxigenoterapia?

A oxigenoterapia pode ser adaptada para as necessidades de cada paciente, desde suportes para respiração, até respiração mecânica induzida. 

Sistemas de baixo fluxo

O sistema de baixo fluxo oferece um suporte para que o paciente possa respirar de forma adequada. Por ser de baixo fluxo, pode ser aplicado por uma cânula nasal básica em que o oxigênio aplicado se mistura com o ar.

Sistemas de alto fluxo

Os sistemas de alto fluxo oferecem suporte total de oxigênio para o paciente, em uma quantidade bem maior do que o fluxo inspiratório poderia captar.

Ventilação não invasiva

A ventilação não invasiva é apenas um suporte de oxigênio para que a pessoa possa respirar melhor durante o sono, por exemplo. Aqui, podemos citar os aparelhos CPAP e os tratamentos para parar de roncar ou apneia do sono. A Mobiloc oferece as melhores tecnologias quando o assunto é oxigenoterapia! Obtenha os melhores equipamentos e máscaras com condições incríveis para você!

Quando a oxigenoterapia é indicada?

Como já mencionamos anteriormente, a oxigenoterapia serve como um suporte respiratório para os pacientes que não conseguem todo o oxigênio necessário apenas com a respiração natural. Entre as razões mais comuns para a necessidade de oxigenoterapia, estão:

DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica, comumente referida como DPOC, é um grupo de doenças pulmonares progressivas. Os mais comuns são enfisema e bronquite crônica.

O enfisema destrói lentamente os sacos de ar nos pulmões, o que interfere no fluxo de ar externo. A bronquite causa inflamação e estreitamento dos tubos brônquicos, o que permite a formação de muco.

A principal causa da DPOC é o tabagismo. A exposição prolongada a substâncias irritantes químicas também pode levar à DPOC. É uma doença que geralmente leva muito tempo para se desenvolver.

Fibrose pulmonar

A fibrose pulmonar é uma condição que causa cicatrizes e rigidez pulmonar. Isso dificulta a respiração. Isso pode impedir que seu corpo obtenha oxigênio suficiente e, eventualmente, levar a insuficiência respiratória, insuficiência cardíaca ou outras complicações.

Edema pulmonar

O edema pulmonar é uma condição na qual os pulmões se enchem de líquido. Também é conhecido como congestão pulmonar e água pulmonar. Quando o edema pulmonar ocorre, o corpo luta para obter oxigênio suficiente e você começa a ter falta de ar.

Pneumonia

Pneumonia é uma infecção em um ou ambos os pulmões. Bactérias, vírus e fungos causam isso. A infecção causa inflamação nos sacos aéreos dos pulmões, chamados alvéolos. Os alvéolos se enchem de líquido ou pus, dificultando a respiração.

Taquipneia

A respiração rápida e superficial, também chamada de taquipneia, ocorre quando você respira mais do que o normal em um determinado minuto. Quando uma pessoa respira rapidamente, às vezes é conhecida como hiperventilação, mas a hiperventilação geralmente se refere a respirações rápidas e profundas.

O adulto médio normalmente leva entre 12 a 20 respirações por minuto. A respiração rápida pode resultar de ansiedade ou asma, infecção pulmonar ou insuficiência cardíaca.

Fonte: mobiloc

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: