Limpeza que pode salvar vidas

23/09/2019 16:33:59

Segundo um levantamento apresentado neste ano em Congresso* por Mary Jo Steiert – Director of Perioperative Services St. Anthony’s North Health Campus Westminster, entre 40 a 60% das chamadas SSIs – Surgical Site Infections ou infecções em ambientes cirúrgicos podem ser evitadas. Dados trazidos por Steiert mostram que uma pessoa comum pode carregar de 4 a 10 mil partículas de sujeira por minuto (Berry & Kohn’s, Operating Room Technique). A proposta da Diretora, bem como de muitos pesquisadores, é incentivar cada vez mais a consciência da limpeza do ambiente cirúrgico, uma simples escova de 4 mm que limpa cânulas utilizadas em cirurgias comuns pode significar muito contra agentes infecciosos.

A limpeza manual de artigos canulados pode ser entendida como sendo a remoção mecânica da sujidade de artigos que apresentam lúmen. Deve ser executada através de fricção com uso de escovas apropriadas e de soluções de limpeza, que deve ser feita de maneira rigorosa e criteriosa objetivando a redução da carga microbiana, remoção de sujidades, de contaminantes de natureza orgânica e inorgânica, bem como a manutenção da vida útil do instrumento.

O detergente enzimático recomendado deve possuir no mínimo 03 enzimas (proteases, lípases e amilases), pH neutro e que espume pouco. Não se recomenda a mistura com outros produtos, pelo fato de reduzir a eficiência da limpeza e aumento do risco de formação de produtos tóxicos. Para remoção de sujidades, deve-se lavar o instrumental cuidadosamente com uma escova de cerda macia, visando à remoção de crostas ou quaisquer tipos de resíduos depositados. Para lavagem dos lúmens, recomenda-se a utilização de escovas tubulares com o diâmetro compatível com o artigo, realizando movimentos circulares sob jatos de água evitando a formação de aerossóis de micro-organismos (aqueles transmitidos pelo ar, como pelo espirro, torre, por exemplo).

Limpar dispositivos canulados leva tempo, paciência e um certo know-how também. Quer se trate de detritos residuais que permanecem nos lumens e que podem ser tão pequenos e longos, todo os instrumentos cirúrgicos canulados são um desafio para reprocessar.

Vamos observar o que recomenda a ANVISA – De acordo com a ANVISA, ART. 67 NO CME CLASSE II E NA EMPRESA PROCESSADORA, a limpeza de produtos para saúde com conformações complexas deve ser precedida de limpeza manual e complementada por limpeza automatizada em lavadora ultrassônica ou outro equipamento de eficiência comprovada. Para produtos para saúde cujo lúmen tenha diâmetro interno inferior a cinco milímetros é obrigatório que a fase automatizada da limpeza seja feita em lavadora ultrassônica com conector para canulados e que utilize tecnologia de fluxo intermitente. art. 68 o enxágue dos produtos para saúde deve ser realizado com água que atenda aos padrões de potabilidade definidos em normatização específica. Parágrafo único. O enxágue final de produtos para saúde críticos utilizados em cirurgias de implantes ortopédicos, oftalmológicos, cirurgias cardíacas e, neurológicas, deve ser realizado com água purificada.

Essa é a função das escovas para limpeza de canulados. São escovas para limpeza de instrumentos e auxiliam na limpeza manual do interior dos materiais canulados. Essa ação mecânica é essencial para limpeza dos materiais médicos; e são estas escovas circulares que garantem tal ação mecânica dentro dos materiais canulados.

Estes tais materiais canulados são instrumentos médicos hospitalares fabricados em plástico ou em aço inox que apresentam orifícios de difícil acesso como: cânulas, bicos ou pontas de aspiradores cirúrgicos, seringas para anestesia, trocáteres para laparoscopia e artroscopia bem como ópticas para endoscopia. Após a limpeza completa e esterilização eles são encaminhados, como determinam as normas de Saúde, para a C.M.E. (Central de Material e Esterilização) de cada unidade hospitalar.

Como funcionam as diversas etapas de higienização e esterilização dos canulados:

  1. Uso da escova correta – Na lavagem mecanizada é importante o uso de escovas de limpeza (escovas do tipo tubular para limpeza de instrumentais cirúrgicos canulados nos diâmetros 2, 3, 4, 5 e 10mm, cabos em metal e cerdas em nylon) para assegurar que os instrumentos estejam efetivamente limpos antes da esterilização. Ao escovar instrumentos canulados é importante que ao sair a escova por uma extremidade ela também possa empurrar de forma eficaz todos os detritos.
  2. Lubrifique – Uma maneira fácil e econômica para manter os instrumentos e se defender contra a ferrugem é lubrificá-los com um lubrificante pH neutro à base de água após cada ciclo de limpeza, antes da esterilização. Tenha certeza que você não está usando um lubrificante mineral ou à base de silicone que poderão interferir na esterilização.
  3. Observação de manchas –   Manchas marrom podem ser resultantes de superfície com pH alto causadas por qualquer uma das seguintes características: o uso de clorexidina, sabões e detergentes impróprios, solução de esterilização a frio, sangue seco, imersão em solução salina, ou uso de sabão em pó. Manchas pretas podem ser causadas por uma possível exposição à amônia.
  4. Esterilização – Sempre esterilizar com as junções dos equipamentos ou instrumentos abertas. Isso reduz a pressão e previne possíveis rachaduras nas dobras e promove uma melhor penetração do vapor. Se estiver usando uma bandeja, recomendamos uma com perfurações.
  5. Promover o trabalho em equipe – Os profissionais que farão a esterilização devem trabalhar em conjunto com os da sala de cirurgia. É importante organizar para que estas duas áreas e suas equipes tenham um ambiente no qual possam discutir e identificar possíveis problemas ou erros a sanar.

Como ocorre a lavagem:

Materiais:

  • Use uma escova de cerda firme para limpeza características, como de broca, alargadores ou superfícies dentadas. Use uma escova com diâmetro específico para cânulas. Garantir que a escova passe em todo comprimento de cada canulação pelo menos três vezes.
  • Pincéis adequados (apenas escovas macias, nunca escovas de metal ou lã de aço) ou arames de limpeza (para pequenos canais) para atingir todas as partes do dispositivo.
  • Seringas (volumes 1 a 50 ml dependendo do tamanho dos canais a serem enxaguados)
  • Água purificada ou esterilizada.
  • Pré-limpeza – remoção de material bruto;
  • Mergulhe na solução de limpeza;
  • Escovas que possam operar peças em movimento.
  • Enxágue em água corrente.

Processo manual e de desinfecção:

  • Mergulhe em banho ultrassônico;
  • Limpe com escovas de limpeza ou fios;
  • Enxágue com seringa e água corrente;
  • Mergulhe na solução desinfetante;
  • Etapa a seco (ar comprimido; toalhetes e forno).

Fonte: Weinberger

 

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: