Laringoscópio, saiba o que é e como usar

07/05/2020 15:50:17

A função primordial do laringoscópio é fornecer uma visão mais privilegiada da laringe e das cordas vocais dos pacientes. A pessoa que sofre de refluxo na laringe ou na faringe geralmente precisa se submeter à laringoscopia, que é um dos exames nos quais o equipamento é utilizado.

Trata-se de um exame simples e dura ao redor de dez minutos. O aparelho clareia a visão do profissional, permitindo que ele examine melhor o paciente. O procedimento é semelhante à endoscopia. A diferença é que, na laringoscopia, o aparelho não se aprofunda tanto na região.

O aparelho é composto por lâmina e cabo, além de ter um compartimento para a bateria, a qual tem função de manter a fonte de luz. A lâmina eleva a mandíbula inferior e a faringe, que é aberta no ângulo adequado. Quando o instrumento estiver bem posicionado, a luz é acesa automaticamente.

Existem diversos tipos de lâminas. As mais usadas são as curvas, como a do tipo Macintosh, e as retas, do tipo Flaqq. Porém, existem outros modelos, como o laringoscópio articulado. Esses aparelhos podem ser do tipo McCoy, Miller, Airtraq, Bullard e Wu Scope.

Como usar 

Primeiro, esteja certo de que todos os equipamentos necessários estão disponíveis. A cabeça do paciente deve ser posicionada do melhor modo para que se alinhem os eixos de visão.

Em seguida, a lâmina do aparelho deve deslizar cautelosamente sobre a língua. O movimento permanece até a ponta atingir a valécula, pressionando o ligamento glosso-epiglótico, que a fletirá anteriormente. Uma tração anterior firme da língua no sentido do cabo permitirá uma boa visão da laringe. Exposta a glote, introduza o tubo endotraqueal com a curvatura para frente. A sonda penetra através da glote e ultrapassa de um a três centímetros as cordas vocais.

Vale lembrar que o procedimento deverá sempre ser acompanhado visualmente. Assim, estará garantido o posicionamento adequado do tubo. O laringoscópio deve ser somente utilizado por profissionais das áreas citadas. Seu uso mais detalhado deverá ser ensinado em cursos e graduações nas áreas da saúde.

Fonte: maconequi

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: