Instrumentos cirúrgicos: quais cuidados são indicados?

12/03/2020 11:37:14

Para que uma cirurgia seja bem-sucedida é necessária a junção de alguns fatores, entre eles estão a qualidade e o estado de conservação dos instrumentos cirúrgicos que serão utilizados.

Afinal, pouco adianta o conhecimento médico e da equipe envolvida se não tiverem as ferramentas e os equipamentos necessários para melhorar a condição de saúde do paciente.

No entanto, para que esses instrumentais estejam sempre prontos para uso, algumas medidas precisam ser tomadas por todos os profissionais envolvidos no processo.

A importância da conservação correta dos instrumentos cirúrgicos

Quando falamos em cirurgia, uma das primeiras cenas que vem à mente é um ambiente estéril e cercado de bons profissionais.

Entre as pessoas necessárias para um procedimento de sucesso estão os instrumentadores cirúrgicos, responsáveis pela separação, higienização, montagem da mesa e fornecimento dos instrumentais que serão utilizados durante a intervenção.

No entanto, eles não são os únicos responsáveis pela preservação das peças, mas também os médicos e os assistentes, ou seja, todos que manuseiam os instrumentos cirúrgicos em algum momento são responsáveis por eles e precisam estar atentos durante a utilização, especialmente para evitar quedas e contaminação.

Dessa forma, entre os motivos que justificam os cuidados com os instrumentos cirúrgicos estão a necessidade de mantê-los estéreis e a preservação do bom funcionamento dos instrumentais.

Como preservar os instrumentos cirúrgicos?

O primeiro passo para manter a vida útil dos instrumentos cirúrgicos e suas funcionalidades está na utilização correta de cada um deles, ou seja, usá-los somente para a finalidade a qual foram criados. Isso é importante pois, o uso indevido pode desalinhar, quebrar ou mesmo danificar o instrumental permanentemente.

Além dessa medida, existem outras que garantem que os instrumentos cirúrgicos se mantenham conservados e disponíveis para uso por muito tempo. Veja agora quais são.

1. Lavagem e higienização

O principal objetivo da higienização correta dos instrumentos cirúrgicos é a segurança do paciente. Por isso, eles precisam passar por uma limpeza adequada, que envolve o uso de água desmineralizada e deionizada, além de detergentes neutros, antes de passarem pela fase da esterilização.

2. Esterilização

A esterilização é um processo fundamental e indispensável quando se fala de instrumentos cirúrgicos.

Afinal, a ideia de uma intervenção assim é restabelecer a saúde do paciente, evitando, a todo custo, risco de contaminações durante o procedimento.

3. Armazenagem

A área destinada a armazenar os instrumentos cirúrgicos deve ser ampla e segura, para facilitar a locomoção das caixas cirúrgicas e garantir a preservação dos instrumentais.

A forma de guardar os instrumentos cirúrgicos também tem grande peso na conservação e preservação das peças.

Por isso, é preciso cuidar para que cada instrumental seja armazenado da maneira certa.
Para as partes móveis de peças que possuem essa funcionalidade, é necessário lubrificar cada uma delas antes de armazenar e, assim, manter a maleabilidade e evitar oxidação. 

4. Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva é crucial para manter a performance e a conservação dos instrumentos cirúrgicos. Através dela, previne-se o aparecimento de trincas, fissuras, deformações, pontos de corrosão, além de sinais de desgaste e fadiga.

Realizando a manutenção preventiva anualmente com os técnicos especializados da Randmed, consegue-se aumentar vida útil e o desempenho dos instrumentos cirúrgicos. Além de reduzir o custo com reposição de novos instrumentais.

O QUE NÃO DEVE SER FEITO COM OS INSTRUMENTAIS:


Não apenas o que precisa ser feito merece ser mencionado, mas também o que deve ser evitado, tais como:

- Utilizar produtos não indicados tanto para lavagem, quanto para enxágue das peças;
- Fazer uso de esponjas de aço para higienização;
- Colocar muitos instrumentos cirúrgicos uns sobre os outros durante o processo de secagem, lavagem ou mesmo armazenamento;
- Deixar os instrumentais secarem naturalmente;
- Guardar instrumentais limpos em caixas manchadas ou com riscos de contaminação.
- Provocar quedas que possam comprometer o funcionamento ou eficiência das peças.

Fonte: RandMed

 

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: