Conheça 5 casos em que a Oxigenoterapia é indicada

31/08/2020 17:11:26

A oxigenoterapia é um tratamento que tem como objetivo aumentar ou manter a saturação de oxigênio acima de 90%, que é o ideal para a saúde. É uma terapia complementar que, na maioria das vezes, é prescrita em auxílio a quadros de doenças respiratórias, que em muitos casos comprometem as trocas gasosas e a oxigenação do sangue e dos tecidos do corpo. Continue lendo e entenda!

QUANDO A OXIGENOTERAPIA É INDICADA?

Fibrose pulmonar, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e edema pulmonar são algumas das doenças respiratórias que atrapalham a absorção do oxigênio. Nesses casos, a oxigenoterapia é indicada para garantir que a saturação do sangue atinja níveis ideais para o funcionamento do corpo.

“O tratamento com oxigenoterapia é indicado às pessoas que, por algum motivo, ficam com a taxa de oxigênio baixa e precisam da complementação, que pode ser feita com um cilindro ou concentrador de oxigênio”, explica Clêdisson Souza, fisioterapeuta e especialista da CPAPS.

Listamos casos em que a oxigenoterapia é recomendada. Confira!

  1. DPOC

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é um conjunto de doenças respiratórias que limitam o fluxo de ar e atrapalham a respiração, como a enfisema pulmonar, a bronquite crônica e a asma grave. É uma doença que não tem cura, obstrui os brônquios e dificulta a respiração, deixando o paciente fraco, cansado, com dores de cabeça e falta de ar.

Entre os sintomas da DPOC estão a tosse, falta de ar, infecções respiratórias frequentes, falta de energia, desconforto no tórax e perda de peso não intencional. “Não há cura para essa doença, mas um tratamento adequado com uso de oxigenoterapia pode retardar a progressão e aliviar os sintomas. É o melhor método de tratamento para manter a DPOC sob controle”, reforça Clêdisson Souza.

Aqui no blog da CPAPS, você entende sobre a relação entre a DPOC e a apneia do sono.

  1. FIBROSE PULMONAR

Quem sofre de fibrose pulmonar apresenta sintomas como dificuldade de respirarfadiga, falta de ar e tosse seca. Essa doença respiratória é caracterizada pelo endurecimento e redução de tamanho dos pulmões. Ela ocorre quando cicatrizes aparecem no tecido dos pulmões, prejudicando a elasticidade e a troca gasosa.

“A fibrose pulmonar não tem cura, pois não é possível reparar os danos provocados no pulmão, mas é possível controlar a doença por meio de medicamentos. A oxigenoterapia é uma das opções mais recomendada pelos médicos, para aumentar o nível de oxigênio no sangue e, desta forma, melhorar a respiração”, completa o fisioterapeuta.

  1. EDEMA PULMONAR

O edema pulmonar é caracterizado pelo acúmulo de líquidos no órgão. Ele é causado por insuficiência cardíaca, que leva ao aumento da pressão nas veias pulmonares e provoca muita falta de ar. Quando o indivíduo tem uma crise, é necessário recorrer à oxigenoterapia imediatamente, para aliviar os sintomas.

  1. PNEUMONIA

Com a infecção recorrente da pneumonia, a entrada e saída de gases é comprometida, impedindo que a troca de oxigênio por gás carbônico seja realizada. Desta forma, quanto maior a infecção, mais dificuldades o paciente apresenta para respirar, sendo necessária a utilização da oxigenoterapia para garantir o nível adequado de oxigênio no sangue. “Nesse caso, a oxigenoterapia é utilizada para compensar a baixa concentração de oxigênio no organismo”, diz Clêdisson.

Clique aqui e descubra mais como a oxigenoterapia atua no tratamento da pneumonia!

  1. TAQUIPNEIA

A respiração acelerada pode ser causada por doenças pulmonares e outros distúrbios. Fatores emocionais como ansiedade e estresse, além da DPOC, podem provocar a taquipneia, que ainda pode ocorrer após um período intenso de atividades físicas. Para tratamento pontual da taquipneia, pode ser utilizada a oxigenoterapia.

OXIGENOTERAPIA: CUIDADOS NECESSÁRIOS

A oxigenoterapia deve ser sempre orientada por um profissional, uma vez que o excesso de oxigênio no organismo pode ser tóxico para pulmão e sistema nervoso central. Utilizar o equipamento adequado e certificado, como os que você encontra aqui na CPAPS, também é essencial para garantir os resultados.

Fonte: CPAPS

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: