Como prevenir as úlceras de pressão?

21/11/2019 09:58:32

Ao tratar pacientes que precisam ficar acamados por muito tempo ou que têm dificuldades de locomoção, uma das grandes preocupações de médicos, enfermeiros e familiares é prevenir o aparecimento das chamadas úlceras de pressão (escaras).

Com o objetivo de chamar atenção para o tema, a Sobest (Associação Brasileira de Estomaterapia – Estomias, Feridas e Incontinências) lançou a campanha “Mude de Lado e Evite a Pressão”. Palestras e esclarecimentos sobre o assunto serão realizados em diversos hospitais do país. As ações fazem parte de um movimento internacional, que tem como data principal o dia 19 de novembro, considerado o Dia Mundial de Prevenção da Úlcera por Pressão. 

“As úlceras, também chamadas de escaras, são feridas que surgem na pele causadas pela interrupção da circulação em um determinado local do corpo, próximo de uma região óssea. O tempo de formação da lesão depende de cada indivíduo. Por isso, o mais importante é evitar seu aparecimento, porque depois é difícil tratar. Então, quando a pele começa a ficar vermelha, já é preciso ficar atento, porque debaixo daquela região da pele pode haver um grande processo inflamatório. Na verdade, se a lesão atinge o osso, pode servir de porta de entrada para muitas infecções”, explica Maria Ângela Boccara de Paula, presidente da Sobest.

As escaras são classificadas em graus diferentes, assim como as queimaduras, a depender da gravidade da lesão:

  • Grau 1 (hiperemia ou eritema): apenas a parte superficial da pele é atingida, percebe-se manchas avermelhadas que podem desaparecer depois de um tempo se a pressão sobre a pele for aliviada;
  • Grau 2 (isquemia): todas as camadas da pela são atingidas e pode-se observar a formação de uma bolha, uma esfoladura ou um buraco na área afeta;
  • Grau 3 (necrose): o tecido muscular é atingido, apresenta uma coloração arroxeada, podendo conter um nódulo;
  • Grau 4 (ulceração): além da pele os músculos são atingidos havendo a exposição de articulação e ossos.

Por isso, a dica fundamental, de acordo com a enfermeira, é virar o paciente acamado a cada duas horas. Se o indivíduo com dificuldade de locomoção não estiver hospitalizado, é importante que os familiares se revezem para realizar o procedimento. “Não é necessário contratar uma pessoa para isso”, reforça.

Dicas para quem tem familiares acamados em casa

* É importante mudar o paciente de posição a cada duas horas;

* As feridas normalmente aparecem na região sacral (próximo ao cóccix), quadril, nádegas, costas, calcanhares, cotovelos e orelhas. Fique atento especialmente a essas áreas;

* Na hora do banho, sempre observe atentamente qualquer sinal de vermelhidão na pele;

* Hidrate muito bem a pele do paciente com cremes e óleos;

* O colchão tipo “casca de ovo” é uma boa opção para ajudar a prevenir as úlceras. Entretanto, atente-se à sua espessura, pois ele deve ter, no mínimo, 18 centímetros. Além disso, deve ser trocado a cada duas semanas;

* Não massageie a pele do paciente se a área já estiver lesada;

* Troque com frequência as fraldas dos pacientes que tiverem incontinência urinária ou fecal.

Fonte: drauziovarella

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: