A medicina humanizada é o melhor caminho

04/10/2021 17:43:02

Medicina Humanizada

A Medicina humanizada não é um termo usado para representar um conceito ou uma ideia disruptiva - que também se aplica - porém é uma conscientização coletiva que deseja fazer com que os encontros ‘’médico/paciente’’ tenham proximidade tal que, antes que os títulos ou rótulos apareçam, a relação seja veiculada pelo acolhimento, empatia e objetividade na comunicação.
Infelizmente o que acontece na realidade do cotidiano de milhares de clínicas, laboratórios e hospitais é que na tentativa de otimizar atendimentos e consultas acaba-se por inconscientemente estruturar uma objetificação da doença/condição com a portadora da mesma, e na sina de atender com rapidez, se dá maior enfoque para a doença do que para a pessoa, enquanto o correto seria um tratamento integral do ser humano como alguém que está em processo de auxílio.

‘’’Eu não cuido da doença, eu cuido da pessoa que está carregando a doença e isso faz toda a diferença’’, foi a célebre frase contida na fala da Júlia Rocha no início do seu relato no TEDX de Laçador, a médica discorre sobre o direito universal à saúde e a importância da humanização do atendimento.

A verdade é que cada pessoa que entra em um hospital, seja como acompanhante ou paciente, possui uma história singular e deve ser tratada de modo leve e cordial, por isso o ambiente como um todo precisa ter cada um dos colaboradores inseridos em uma cultura de acolhimento e senso de pertencimento, enquanto dentro do consultório se opera na mesma frequência, lidando com as dores do paciente com empatia para além das pedagogias metodológicas, com um contato sucinto, harmônico, sincero e aberto a uma conexão genuína ao sofrimento e falta que o outro está experimentando na intenção de reposicionar o indivíduo ao estado de saúde e bem-estar.

Estreitar os laços de relacionamento enquanto existe a adaptação da comunicação, tendo em vista o background, a escolaridade e certamente o estado de saúde do paciente, permite com que o médico possa medir suas palavras e seu tom, uma vez que muitas vezes dependendo dos termos utilizados, pessoas mais leigas acabam não compreendendo os termos usados nem sabendo comentar sobre alguns assuntos e por estarem passando por um momento de fragilidade, por isso a importância de uma comunicação clara, cordial e objetiva.

6 passos práticos para a medicina humanizada:
1.Já no primeiro momento converse pelo com o paciente chamando pelo nome que ele se sinta à vontade, enquanto olha nos olhos e gera confiança pelo exercício da empatia;
2.Não se atropele com a mente no próximo atendimento, isso pode, além de te atrasar, te deixar ansioso enquanto o paciente fica desconfortável;
3.Ouvir com prontidão o parecer do acompanhante e do paciente, prestando atenção aos relatos do paciente;
4.Verdade e transparência no momento de pontuar diagnósticos e passos dos tratamentos indicados, detalhando como será feito o uso das prescrições e onde ter ao que o receituário propõem;
5.Respeitar a privacidade do paciente para além do consultório, considerando sua carga emocional e mental, principalmente quando existir a relação de um diagnóstico mais delicado durante a conversa;
6.Prezar pelo momento, fazer o possível para que a consulta seja bem aproveitada e que haja disponibilidade em caso de outras necessidades pós-consulta.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: