A importância do papanicolau como prevenção ao cancêr do colo do útero

25/05/2021 15:35:30

Com a retomada das atividades médicas, os consultórios médicos voltam a ficar movimentados e no mês de luta pela saúde da mulher, é importante relembrar a importância do papanicolau para detecção do câncer do colo do útero.

A coleta do exame pode ser feita no meio líquido ou convencional (lâmina), sendo a metodologia da citologia em meio líquido mais assertiva para o diagnóstico. O GynoPrep é um kit de citologia em meio líquido alemão presente em mais de 100 laboratórios em todo o país. Ele é um método seguro, pois garante que as primeiras amostras coletadas sejam 100% aproveitadas e detectem o diagnóstico preciso, sem precisar submeter o paciente a uma nova coleta. Evita transtornos desagradáveis para quem já está na expectativa e ansiedade com o resultado de sua biópsia.

Citopatologistas recomendam o uso, um exemplo deles é o biomédico Citopatologista Adrian Barbosa da Silveira que disse sobre o GynoPrep: ‘’O método GynoPrep e o equipamento GP-100 formam um sistema de automação de citologia em meio líquido altamente eficiente, reprodutivo e prático pela simplicidade operacional que conta, ainda, com uma assessoria técnica-científica excepcional’’.

Um dos principais diferenciais é possibilitar o processamento de amostras ginecológicas e não ginecológicas. Além disso, o GynoPrep possui duas formas de processamento dos materiais, por automação com o GP-100 ou semi-automação com a Cito Centrífuga Cellspin Tharmac. Cada laboratório escolhe qual método se encaixa melhor em suas necessidades diárias.

O exame fundamental para a saúde da mulher

A recomendação é que o exame seja feito anualmente, isso reduz os riscos e oferece segurança para a saúde da mulher, procure sempre um profissional de confiança e tenha certeza se o equipamento usado vai atender suas demandas com autenticidade e rapidez.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) em 2020 apontou o câncer do colo do útero como o terceiro tipo mais comum entre as mulheres no Brasil. Segundo o INCA, estima-se também que entre 2020 e 2022 sejam diagnosticados 16.590 casos de câncer de colo de útero a cada ano, o que além de despertar certa dose de preocupação, também nos alerta sobre os cuidados a serem tomados com essa displasia antes que se consolide como câncer.

 

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: