A importância da iluminação de consultório para os seus pacientes

14/11/2019 10:34:44

A boa incidência de luz é capaz de oferecer conforto e aconchego para você e aos seus pacientes. Por isso, existem algumas dicas e informações essenciais sobre esse assunto que você precisa considerar na hora de pensar em equipar sua clínica, para garantir que seus pacientes se sintam satisfeitos.

Cor da luz e necessidades de cada ambiente

A cor da luz é um ponto fundamental em qualquer projeto de decoração, já que ela é a responsável pelo aconchego criando ambientes quentes ou frios.

Por isso, fique atento à temperatura da cor. Esse dado é medido em Kelvin (K). Os maiores valores correspondem às luzes mais azuladas e os menores, às mais amareladas. Cada ambiente do consultório pode ter uma necessidade distinta em termos de iluminação. Por isso, lâmpadas com temperaturas também variadas são imprescindíveis ao projeto.

Na recepção, por exemplo, o ideal é investir em uma lâmpada branco-amarelada, que forneça entre 2.800 e 3.000 K. Se você pretende oferecer alguns atrativos aos seus pacientes e acompanhantes, como revistas, jornais e outros itens, pode precisar pensar em fontes auxiliares de iluminação. O melhor, nesse ambiente, é investir em abajures ou luminárias pendentes, que promovem iluminação indireta e tornam o ambiente mais acolhedor.

Já para a parte da clínica, onde acontecem os atendimentos, é essencial que o profissional tenha boa visibilidade e que o paciente se sinta confortável. Por isso, o mais indicado é uma iluminação mais fria, entre 4.000 e 5.000 K.

Esses valores proporcionarão uma iluminação mais clara. E, como a lâmpada é mais próxima da cor branca, ainda conseguirá transmitir aquela sensação de limpeza indispensável para consultórios médicos.

As escolhas dependerão da sua especialidade. Um dermatologista pode precisar mais de iluminação do que um psiquiatra um ou oftalmo, por exemplo, que pode preferir ambientes com luz indireta, que criem um clima maior de aconchego.

Características do ambiente para a iluminação de consultório 

Outros fatores também pesam na hora de escolher a iluminação de consultório. Se o ambiente tiver janelas amplas e cores claras nos pisos e nas paredes, por exemplo, dificilmente precisará de tanta iluminação artificial durante o dia. Mas, se o espaço for fechado e decorado em tons pesados, será ainda mais importante pensar em um projeto adequado de iluminação.

Então, antes de comprar lâmpadas ou lustres, comece analisando como é o seu ambiente, a quantidade de janelas e de luz solar que incide no cômodo, os móveis, as cores dos revestimentos e outros detalhes que podem tornar o seu consultório mais claro e arejado.

Quanto mais você conseguir aproveitar a luz natural, melhor será a iluminação do seu consultório, reduzindo, também, a conta de energia elétrica.

Só tome cuidado com a luz natural direta do sol, já que ela pode causar sensações desagradáveis nos seus pacientes na sala de espera, esquentando demais o ambiente.

Luz de LED

O mais indicado é optar pela luz de LED. Embora ela custe um pouco mais caro, essa lâmpada tem durabilidade maior, consome menos energia e promove uma iluminação mais eficiente.

Lembre-se de que, geralmente, os consultórios costumam passar uma boa parte do dia com as lâmpadas acesas. Por isso, contar com opções de LED ajuda a reduzir o consumo e, consequentemente, os gastos.

Além disso, o LED não trabalha com substâncias poluentes, como é o caso das lâmpadas fluorescentes, que possuem chumbo e mercúrio – metais prejudiciais à nossa saúde que não podem ser descartados em aterros comuns.

Iluminação dinâmica

Uma novidade do setor que tem sido usada com bastante sucesso em clínicas médicas é a iluminação dinâmica. Nesse sistema, a temperatura e a intensidade da luz são modificadas de forma automática ao longo do dia, criando um equilíbrio entre iluminação quente e fria.

Assim é possível, conforme as horas forem passando, alterar a iluminação da sala de recepção ou de atendimento, promovendo mais conforto para pacientes e médicos.

Normas de iluminação para a área médica

Muitas pessoas não sabem, mas existe uma norma específica para a iluminação de ambientes de trabalho. É a ABNT NBR ISO/CIE 8995-1.

Neste documento estão contidas informações importantes em relação à iluminância (quantidade de luz que ilumina e se espalha por um ambiente e está relacionada à forma como os seres humanos percebem o brilho de uma área iluminada) e ao ofuscamento (sensação visual produzida por áreas brilhantes dentro do campo de visão).

De acordo com a norma, em salas para atendimentos médicos, a luminância deve ser de 500 lux e o índice de ofuscamento máximo, de 16 UGR. Como essas são questões bem técnicas, o melhor é buscar a ajuda de um profissional especializado em iluminação.

Iluminação em exames e cirurgias

Quem trabalha em centros cirúrgicos sabe qual é a importância da luz em cada procedimento. O Fotóforo Missouri ou “Luz de Cabeça” é um aparelho com lâmpada frontal que fornece iluminação para o campo cirúrgico, melhorando a qualidade e alcance visual da região do corpo do paciente que estará sendo manipulada durante o procedimento normal da cirurgia. Indicado para utilização em otorrinolaringologia, clínica geral, odontologia, pequenas cirurgias, entre outras aplicações médicas.

Fonte: youinc

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: