11 coisas que você precisa saber sobre o câncer de colo do útero

01/10/2019 13:27:49

A gravidade do câncer de colo do útero, no Brasil, ainda é pouco conhecida – realidade que contribui para que a doença ocupe a terceira posição na lista dos tipos de câncer que mais matam no país. O baixo acesso à informação, assim como a falta de programas amplos organizados nacionalmente para um melhor rastreamento e alerta sobre sintomas são dois agravantes da doença que tira a vida de uma brasileira a cada 90 minutos.

De olho nisso, a Marie Claire organizou em parceria com o Laboratório Roche, na manhã desta quinta (08), na Casa do Saber, em São Paulo, um bate-papo com a oncologista Daniela Freitas, do Hospital Sírio Libanês e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo. A conversa foi mediada pela jornalista Astrid Fontenelle e rendeu uma série de informações importantes sobre prevenção, diagnóstico e tratamento.

O evento faz parte da campanha #ForçaAmiga que estimula a troca de informações sobre o assunto, assim como o acolhimento de pacientes.

A seguir, reunimos os principais trechos do que foi debatido...

1. A principal causa do câncer de colo de útero é o HPV, transmitido por meio de relações sexuais. 70% das mulheres são infectadas pelo vírus HPV até os 50 anos de idade.

2. No geral, o perfil das pacientes que lutam contra a doença é: média de 49 anos, baixa escolaridade e casada.

3. 77% das atingidas pela doença são diagnosticadas já em fase avançada. A falta de informação, assim como o estigma em torno do assunto, são dois agravantes.

4.  Quatro passos são essenciais para a prevenção: tomar a vacina do HPV, usar camisinha, fazer o exame do Papanicolau anualmente e buscar os resultados. A visita ao ginecologista deve ser feita todo ano, assim que a mulher dá início a sua vida sexual.

5. A vacina é recomendada para meninas a partir dos 9 anos, antes da primeira relação sexual, mas pode ser tomada até os 40. Porém, vale pontuar que ao tomar a vacina em idade avançada, a eficácia será menor.

6. Uma mulher que contrai o vírus HPV não necessariamente terá câncer de colo do útero. A lesão pode ser tratada e o sistema imunológico, em alguns casos, é capaz de combatê-lo. Por isso, o acompanhamento médico é essencial.

7. Uma vez que a mulher tem a infecção, até a célula se tornar cancerígena, leva em média 15 anos. A evolução é lenta e as fases iniciais da doença costumam ser assintomáticas. Mas, aos poucos, começam a surgir quadros de sangramento, secreção vaginal anormal e dores abdominais e durante a relação sexual.

8. A chance de uma mulher engravidar após um quadro de câncer de colo do útero é baixíssima. A maioria fica infértil.

9. Quando o diagnóstico é feito em fase inicial, a chance de cura é de quase 100%. Porém, quando feito tardiamente, a taxa de sobrevida estimada em cinco anos cai de 90% para 16% sem o uso dos avanços da medicina.

10. O tratamento mais comum são cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

11. No mundo, 270 mil mulheres morrem por ano em decorrência deste tipo de câncer. No Brasil, são 5.430 mortes anualmente, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Fonte: Marie Claire

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: